Protestos em Cuba.

As protestas em Cuba desencadearam um debate sobre a situação do país e a necessidade de mudanças políticas e econômicas. Organizações internacionais de direitos humanos denunciaram a repressão e instaram o governo cubano a respeitar os direitos dos cidadãos e permitir a liberdade de expressão.

Em 17 de março de 2024, ocorreram uma série de protestos em várias cidades do país: Santiago de Cuba, Bayamo e Cárdenas, entre outras. As razões foram as mesmas das protestos anteriores, como as de julho de 2021.

As protestas em Cuba em julho de 2021 foram um evento importante que chamou a atenção do mundo. Os cidadãos cubanos foram às ruas para expressar seu descontentamento com a situação econômica e política do país, exigindo mudanças e reformas.

As protestas, que ocorreram em várias cidades de Cuba, foram impulsionadas pela escassez de alimentos e medicamentos, a falta de liberdades políticas e o aumento dos casos de COVID-19 na ilha. Os manifestantes gritavam slogans como "liberdade" e "abaixo a ditadura".

As autoridades cubanas responderam com detenções em massa e repressão das manifestações, o que causou condenação internacional. Além disso, o governo fechou o acesso à internet e às redes sociais, o que dificultou a disseminação de informações sobre a situação na ilha.

Registaram-se mais de 600 protestos em Cuba em junho.

  • Redação do CiberCuba

Protestos em Cienfuegos após mais de 12 horas de apagão.

  • Redação do CiberCuba